Sair do aluguel por quê?

Bombardeado com as propagandas de construtoras, ofertas do governo e a loucura imobiliária, de repente assumimos como corriqueiro comprar uma casa ou apartamento. De repente parece que se você paga aluguel, você fracassou ou está fazendo algo errado na sua vida.

Resolvi parar de me afligir com a pressão e tentar respirar e ver qual é a real, naquela boa e velha listas de vantagens e desvantagens. Claro, não estamos criticando a decisão de ninguém, longe disso, apenas tentando descobrir o que é melhor para nós. 🙂

Na minha cabeça isso é um exemplo válido de casa para comprar.  (Foto: crises_crs.)

Na minha cabeça isso é um exemplo válido de casa para comprar. (Foto: crises_crs.)

Vantagens de se comprar um apartamento/casa.

Aqui há uma pegadinha, que geralmente esquecemos. É preciso diferenciar o momento em que você já mora em uma casa própria, totalmente quitada, e o momento em que você está pagando as parcelas. Mas vamos lá, as vantagens:

– Poder decidir tudo, quebrar paredes, trocar pisos, louças, janelas e o que quiser. Claro, lembrando que isso custa dinheiro e muitas vezes transtorno.

– Poder resolver os problemas da casa por conta própria e bem feito. Deu infiltração? Compre um bom isolante, contrate um pedreiro e pronto, sem precisar ligar, negociar e chorar para o proprietário resolver.

– Você tem um imóvel só seu, uma garantia de teto para tempos de crise.

Desvantagens de se comprar um apartamento/casa

Todas essas são histórias verídicas de conhecidos nossos. Os nomes foram trocados.

– Isabel e o marido compraram um apartamento de 53 m² na planta. Quanto mais perto da entrega, mais triste a ideia de ter que se mudar para o aperto. No fim, decidiram vender o novo apartamento.

– Juliana se mudou para o apartamento novinho. Três meses depois uma república barulhenta aluga o andar de cima, gerando uma série de transtornos. Já vi o mesmo caso acontecer com igrejas, bares e baladas próximos.

– Raquel comprou sua casinha dos sonhos em um condomínio fechado no interior de Minas. Dois meses depois o marido recebeu uma mega oferta de trabalho em Campinas, e vieram os dois de mala, gato e cachorro para Campinas. Ao mudar de cidade você muda de casa. E se só mudar de emprego e tiver que atravessar a cidade inteira todo dia? Vale à pena vender e comprar outra?

Há também as desvantagens de pagar um negócio desses.

– Muitas vezes as parcelas equivalem a um aluguel. Mas como é um financiamento, você vai ter que pagar, por 10, 20, 30 anos. Mas e se algo acontece no meio do caminho, você perde o emprego, a grana aperta? A questão é que uma das principais vantagens do imóvel pronto, de “sair do aluguel”, só aparece depois de todo esse tempão. Até lá muita água pode correr.

Ok, o aluguel. Vamos começar pelas desvantagens.

– “É dinheiro jogado no lixo, você não tem nenhum retorno disso”. Ok, não é um financiamento ou investimento, mas é difícil falar que ter um teto para mim, esposa e cachorro é nenhum retorno.

– Você vai ter que aceitar aquela parede entre a cozinha e a copa que não faz sentido nenhum, a escolha bizarra de azulejos da cozinha, os tacos soltos e a linda decoração do banheiro inspirada nos anos 60.

– É difícil se animar a melhorar a casa quando ela não é sua. Como resultado, você acaba convivendo com incômodos como aquela porta que não fecha direito ou chutar o taco solto do corredor dia sim dia não. (Ok, eu vou colar isso, só não hoje.)

Vantagens de se morar de aluguel

– Você não fica preso em um lugar. Se abrir uma igreja/bar/boate do lado da sua casa, você manda um abraço e foge. Se você mudar de emprego, mude de casa junto.

– Ok, você tem uma conta pesada para pagar todo mês. Mas se a coisa apertar, dá para se mudar para um lugar mais barato. Em último caso você vai morar na edícula dos pais.

– Dá para experimentar um bocado de estilos de casa, arquitetura e decoração antes de escolher a sua.

Mas, pessoal do sofá, comprar uma casa é um investimento!

Sim, concordo plenamente, é um investimento que pode render bons lucros no futuro. Acontece que se for um investimento, você tem que pensar como investidor, ou seja, estudar seriamente a possibilidade de valorização daquele imóvel e região específica.

Investir o dinheiro é aplicar em algo que você espera um retorno em determinado prazo. Hoje quase todo imóvel acaba valorizando, uns mais outros menos, mas como não tenho conhecimento quase nenhum sobre mercado imobiliário, tenho muito receito de investir e me dar mal depois (ser pego em uma bolha imobiliária). Ou de não conseguir vender aquele apartamento de 45 m² que comprei apenas para revender.

Então sim, investir é muito importante. Mas imóveis não são o único investimento possível. Às vezes você pode se dar infinitamente melhor investindo em outra coisa e comprar o seu imóvel com o retorno deste investimento depois de dez anos. Novamente, é preciso ter conhecimento da área de investimentos para tomar essa decisão. Infelizmente, eu não tenho.

Por último, este texto diz respeito à nossa situação econômica atual. Não temos condições de pagar as parcelas de um imóvel pronto como realmente gostaríamos de morar, e também não conseguimos expremer um aluguel e mais uma parcela de algo na planta, ou de um terreno.

Chegamos à conclusão que o melhor para nós hoje é tentar sim economizar e fazer pequenos investimentos, mas não em um imóvel. Mais para frente, quando formos rycos, a gente compra um. E sim, a gente sempre acha que daqui a uns anos vamos conseguir.

Leave a comment

9 Comments

  1. vamos lá:

    como alguém que viu desde nascer os pais (com 3 filhos) batalhando pra comprar (e depois terminar de construir) a casa própria, depois mudar de cidade, morar de aluguel, comprar outra casa e se matar para pagar até hoje, é mais que natural que eu tenha crescido com a ideia de comprar meu próprio espaço como certa e definitiva.

    apesar de confessar que desde que saí da casa da minha mãe com 19 anos e sem dinheiro, eu sempre morei de aluguel, por não ter entrada pra comprar imóvel.

    mas tirando a experiencia pessoal, porque eu acho que comprar casa é uma boa:

    pagar aluguel ou a prestação da casa dão na mesma (enquanto conta para pagar todo mês) ao longo de 30 anos. é custo para morar que você só vai deixar de ter se morar por 30 anos com os pais.

    Então, considerando que todo mundo tem esse custo, a casa te dá a vantagem de ter uma COISA que é sua no final, e que, como sua, você pode vender se quiser, ou alugar, um demolir, ou simplesmente não ter que pagar aluguel no ano 31

    ficar sem dinheiro por falta de trabalho é um problemão pra quem paga financiamento de casa, mas também é um problemão pra quem depende de aluguel pra ter um teto, nos dois casos dá pra atrasar (não muito), até se estabilizar.

    tem gente que volta pros pais se vive de aluguel e fica desempregado, mas nesse caso, pra quem tem casa vc aluga sua casa e deixa ela se pagando pelo menos, pra não perder o imóvel, a vantagem é que não vai ser diferente de quem não tem nada e precisa do aluguel.

    se livrar de aluguel em caso de vizinho barulhento é mais fácil, (mesmo que seja um transtorno se mudar, achar outra casa pra alugar, pagar seguros, multas e etc), mas aluguel tem contrato, geralmente de 1 a 3 anos e quebrar contrato nem sempre é barato ou rápido.

    claro que, você pode vender a casa e comprar em outro lugar (com certa dificuldade, devo dizer), mas você também pode alugar a sua casa para alguém e usar o dinheiro pra morar onde quiser.

    aluguel não é sinonimo de mais liberdade, porque quase tudo vc pode fazer tendo casa também, inclusive alugar e se re-locar. mas não ter casa é sambar quando ficar velho.

    ter poder de decisão no próprio espaço é uma liberdade que eu pelo menos preciso muito pra viver, poder deixar o lugar com a minha cara. (como é o caso aqui)

    eu particularmente não chamo casa nem carro de investimento, os dois são gasto, tanto quanto aluguel, digo, 90% das pessoas compra casa pra viver nela, não pra revender, então não é investimento. investimento é o que a gente faz com a certeza de retorno. e vender casa nem sempre dá lucro, ou se paga.

    mas admito que como você é forçado a pagar o financiamento como também seira forçado a pagar o aluguel, você é por tabela forçado a imobilizar esse dinheiro no imóvel, ou seja, forçado a guardar esse dinheiro numa coisa sua. se você aluga, mesmo que você ganhe mais do que gasta com o aluguel, vai ser mais difícil guardar dinheiro, a não ser que tenha muita força de vontade.

    além disso, ter casa traz coisas interessantes, por exemplo crédito barato. não que seja bom usar crédito, mas é bom ter se vc é muito disciplinado com dinheiro, ou tem estabilidade financeira(o que é raro hoje em dia), ou viaja muito e precisa de acesso a cartão de crédito.

    claro que se vc não tiver a cabeça no lugar, esse crédito extra pode te levar a casa embora…

    mas se me perguntar, é pesado, mas comprar vale a pena.

    Responder
    • Rodrigo

       /  4 de setembro de 2013

      Sim, eu acho que concordo com a maioria, mas a questão é justamente o que você falou:

      “apesar de confessar que desde que saí da casa da minha mãe com 19 anos e sem dinheiro, eu sempre morei de aluguel, por não ter entrada pra comprar imóvel.”

      Nós não temos essa entrada ainda. Mas sentimos uma pressão para comprar qualquer coisa, aí teríamos que nos apertar para uma coisa que a gente não quer.

      Nós pretendemos comprar, mas só daqui a um tempinho.

      Responder
  2. Bruno

     /  4 de setembro de 2013

    Interessante essa ideia de não se prender a um lugar na parte pró-aluguel, mas ainda acho que independente de tudo vale a pena ter um imóvel pelo menos no seu nome, seu e bonitinho.

    Primeiro que é uma segurança; independente de ter sido parcelado em 1 milhão de vezes ou pago uma parte grande à vista, se você precisar sair dali você pode alugar a sua casa (mesmo pagando parcelas) e fica no zero a zero, ainda assim tendo a segurança de uma casa fixa, sua e sempre ali caso precise. Isso também serve pra caso você fique “desempregado” porque na maioria das vezes o aluguel supera o custo da parcela e, se for bem feitinho, da pra você usar a “edícula dos pais” até tudo se ajeitar e tirar uma grana ainda por cima.

    Mas vai de pessoa pra pessoa. Na real, pra mim basta a ideia de você poder derrubar a parede entre a cozinha e a copa que não faz sentido algum pra me convencer de que é melhor comprar.

    Responder
    • Rodrigo

       /  4 de setembro de 2013

      Sim, na teoria isso funciona… Na prática os valores para fazer isso complicam muito. Porque sem uma entrada, tem financiamento que você acaba pagando cinco vezes o valor do imóvel para fazer a parcela ficar menor que o aluguel.

      Eu queria poder derrubar essa parede da copa… T.T

      Responder
  3. Lívia

     /  4 de setembro de 2013

    Eu gostaria de grifar uma parte que o Rodrigo falou: “Nós não temos essa entrada ainda. Mas sentimos uma pressão para comprar qualquer coisa”. QUALQUER COISA!
    Já chegaram a nos dizer que seria um negócio da China comprar um imóvel de 45m² numa cidade vizinha (30km de centro a centro), ou até “investir” num imóvel em um bairro longe dos nossos trabalhos, pq depois poderíamos vender COM FACILIDADE pq o mercado está aquecido, “olha o meu imóvel que agora tá valendo 2x mais…”. Acho que é quase uma histeria coletiva, como se comprar imóvel fosse uma liquidação de loja “é só amanhã”, com pessoas madrugando na porta e correndo com um liquidificador debaixo do braço.
    Comprar imóvel é bom? É. Mas não dá pra meter os pés pelas mãos, ainda mais num momento em que não temos muitas certezas de vida profissional e nem temos um grande pé de meia. É uma decisão grande a ser pensada. Para alguns, o momento de comprar já chegou.
    Nós optamos por seguir no aluguel até alcançar uma estabilidade.

    Responder
    • acho super válido a cautela 🙂

      e acho mais válido ainda não sair comprando qualquer coisa só pq ta barato.

      mesmo pq como eu falei, eu não acho que imóvel seja lá investimento com retorno financeiro.

      e (falando como alguém que nunca teve dinheiro pra entrada – aqui na Holanda não tem dessa, vai por faixa de salário e só, o que também é exigido em financiamento no Brasil) sei o perigo que é comprar sem entrada, e também o perigo que é não botar a entrada no orçamento.

      vejo minha mãe trocar de carro a cada 3 anos, mas não junta 1 centavo pros planos dela.

      não tou dizendo que é o caso de vcs, que são duas pessoas centradas e inteligentes.

      mas né, a gente sabe quanto é difícil guardar dinheiro (pra mim é quase impossível), além do custo de vida e imprevistos e etc.

      pensar em programar esse pé de meia quando der ajuda a colocar isso em perspectiva 🙂

      vai dar tudo certo 🙂 it’s not a race

      Responder
  4. Bruno

     /  4 de setembro de 2013

    Sim! Nem entrei no mérito pessoal, to falando num modo mais genérico mesmo.

    Pessoalmente é óbvio que eu não teria autoridade nenhuma pra cogitar a possibilidade da chance de comprar alguma coisa que custe mais de cem reais.

    Responder

Deixe uma resposta para Bruno Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *