Conhecendo São Luís (MA) em casal

Calma, gente, este post demorou mas cá estamos para falar das belezas e diversões de São Luís, onde aproveitamos um feriadão estendido para a semana toda!

A história começou porque Ela tinha que se apresentar em um congresso de arte-educação lá na cidade, e quando fizemos as contas de quanto ia custar isso tudo, percebemos que a diferença de pagar a viagem para uma pessoa ou para duas pessoas era de apenas 300 reais, claro, aproveitando aquelas promoções que chegam às duas da manhã com escalas de duas horas no meio do caminho.

Todos os dias começavam com um banho de protetor solar fps 50.

Praias

O primeiro dia foi todo dedicado a colocar os pezinhos na areia e conhecer um pouco as praias de São Luís. A praia ao lado do hotel, na Ponta D’areia, não era própria para banho, apenas caminhamos. Durante a tarde fomos para a praia do Calhau, essa sim para tomar banho de mar em Acapulco (piada interna do Chaves).

Eu não gosto muito de praia, ao contrário dela, que adora. É quente, tem sol, areia e sal. Para ela, nada melhor que a sensação de sentir a areia massageando os seus dedinhos, o mar soprando (e como ventava naquele lugar!), e principalmente, a sensação de deixar tudo para lá. Trabalho, mestrado, problemas, tudo isso era tão pequeno na praia, tão distante.

Centro histórico

Um dos grandes atrativos de São Luís é seu centro histórico, com palácios cobertos de azulejos. Apesar de bonito, o lugar é um tanto decadente, mal cuidado. Embora seja tombado como patrimônio da humanidade, não há uma manutenção adequada, ou trabalhos de restauros.

Fomos no Museus de Artes Visuais, no Museu Histórico e Artístico e no museu de Artes Sacras.

Infelizmente, não conseguimos entrar no Museu de História Natural, pois estava fechado em todos os dias que passeamos pelo centro. Fiquei sem ver os dinossauros que eu queria, agora vou lá construir uma máquina do tempo.

Lençóis Maranhenses

Não deu pra ir, até porque não é tão perto de São Luís assim, mas ouvimos dizer que é muito bonito. 🙂 E isso só está no post porque todo mundo perguntou “e nos Lençóis Maranhenses, vocês foram?”

Gastronomia

À noite era muito gostoso passear pela cidade, aproveitar um pouco dos bares ali próximos ao hotel, comer um peixe delicioso em um lugarzinho simples chamado Ki-algumacoisa, ou nos restaurantes ao redor da Lagoa da Jansen.

Mas em geral, salvo um prato ou outro, não gostamos da comida de lá, tudo tinha um gosto esquisito. Estávamos loucos para voltar e comer um bom arroz e feijão que só por aqui, viu!

Cultura e clima

A temperatura mínima lá foi de 26 graus à noite, ainda bem que o hotel tinha ar condicionado. Passamos uma semana ouvindo tecnobrega (até a música da Tapioca teve), e se você acha que Luan Santana é ruim, experimente ouvir a versão tecnobrega disso.

A melhor parte foi realmente tirar uma semana de férias, sem pensar em cliente, em aluno, em redes sociais, até o nosso blog a gente abandonou a semana inteira (e na semana passada para colocar a vida em ordem, né gente?)

Tivemos também alguns percalços, como um assalto na praia. Pensamos em escrever sobre isso, mas não vale a pena martelar memória ruim, melhor mesmo é curtir o que foi bom!

Leave a comment

2 Comments

  1. Quero praia também, mas me contento com Ubatuba, não precisa ser tão longe 😀

    Responder

Deixe uma resposta para Rafael Noris Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *